Como o mindfulness funciona?

Atualizado: 6 de Out de 2019

Nos últimos anos muitas pesquisas foram publicadas utilizando o mindfulness como intervenção. Com isso, muitas discussões surgiram a respeito do conceito aplicado ao minfulness, que deve ser elucidado para que não haja dificuldade na interpretação dos resultados das pesquisas científicas sobre o tema.


De acordo com Jon Kabat-Zinn, mindfulness seria uma habilidade de estar presente no momento presente de forma intencional, com abertura e sem julgamento. Essa habilidade é cultivada através da prática de meditação ou através da observação das sensações do corpo e da mente na vida diária. Isso deve ser feito com uma atitude de curiosidade, abertura e aceitação da experiência vivenciada.




A prática de mindfulness consiste em 5 pilares essenciais e envolve a regulação da atenção, a consciência corporal, regulação emocional, percepção dos estados internos corpóreos e uma mudança na perspectiva do self. Para saber mais, veja esse artigo.

Assim, há a construção de uma consciência integral de modo a facilitar o processo de mudança de antigos padrões pouco adaptativos diante da necessidade de sobrevivência na vida moderna.


Um dos mecanismos que o mindfulness parece utilizar para facilitar essa tomada de consciência é o descentramento ou distanciamento dos fenômenos mentais e físicos que emergem durante a experiência. Como isso acontece? Adquirindo uma postura de observador e de não identificação com pensamentos e sensações durante a prática de meditação e durante o dia. Isso leva a uma facilitação da autorregulação, promovendo o foco no que acontece no momento presente. Assim, também é facilitada uma mudança de perspectiva sobre si mesmo.


Um outro mecanismo é a aceitação da experiência vivida. Isso se concretiza através de uma atitude de não julgamento e não controle de forma rígida sobre o que ocorre na nossa vida. Além disso, o mecanismo da interocepção é essencial. A interocepção é a habilidade de percepção dos estados internos corpóreos e faz parte dos elementos da prática de mindfulness. Estudos mostram a relação da interocepção com uma melhor capacidade de regulação emocional. Para saber mais sobre isso, veja esse artigo.


A importância disso para nossa rotina é o reconhecimento da nossa capacidade de não sermos completamente guiados pelos impulsos provenientes de pensamentos e crenças sobre uma possível situação ou realidade que pode nunca existir.


Ao nos colocarmos em situações de antecipação, como ocorre quando estamos diante de um evento importante como provas, apresentações e etc., nosso corpo passa a reagir como se estivéssemos em perigo, com adaptações que favorecem a sobrevivência. No entanto, ao tomarmos consciência dessa tendência de sofrer por situações que ainda não aconteceram, retornamos para o momento presente e o corpo também passa a permanecer em um estado basal de atividade. Em outras palavras, o cultivo da habilidade mindfulness previne o sofrimento duplo que temos diante do que estar por vir. Assim, cultivamos saúde e mais qualidade de vida nos nossos dias.



E você? Já esteve presente hoje?


31 visualizações
  • Instagram
  • Facebook
  • YouTube

por Geissy Araújo 2020

Neurocientista | Instrutora de Mindfulness

contato@geissyaraujo.com

Avenida Amintas Barros, 3700, Lagoa Nova, Natal/ RN