O poder da natureza e do ambiente

Você já parou pra pensar sobre a influência do ambiente na sua saúde?

Não falo apenas de aspectos macros, de ar, temperatura global e etc, mas também de ambientes que ocupamos todos os dias.



Há algum tempo tenho estudado o impacto do ambiente, em especial dos elementos da natureza, sobre nossa saúde mental. Enquanto neurocientista e amante da psicologia, tenho interesse em entender como nosso cérebro responde ao ambiente e como nós interpretamos estímulos que recebemos, de acordo com nosso estado interno. Explico melhor... Desde o fim do ano passado, quando tive uma situação de saúde que me impossibilitou de fazer exercício físico, muitas vezes, de me locomover com fluidez acompanhada de muita dor física, tenho atentado para aspectos que antes não observava. Após exames e constatação de uma séria inflamação na coluna, sem aparente explicação, mesmo com medicamentos, meditação e yoga muito leve (única modalidade possível pra mim naquele momento), a dor não cessava. Até que me mudei o ambiente. Fui para a natureza, para o meio do mato (Chapada dos veadeiros, se você não conhece, por favor, se dê esse presente e visite esse lugar) e após dois dias imersa com sons, cores, aromas, texturas e liberdade, a dor de 45 dias sumiu. Foi possível levantar sem dor, caminhar e até pular! Imagina o quanto isso foi significativo para alguém que, enquanto fisioterapeuta, tentou todas as explicações cinesiológicas e fisiológicas possíveis. Pois bem, depois de 5 dias de imersão na natureza e mais 5 dias visitando outra cidade, retornei a minha rotina com um outro olhar e com mais curiosidade sobre esse componente tão importante da nossa saúde: o ambiente e digo mais, os elementos da natureza no ambiente que ocupamos.


Sincronicamente, recebi de um professor, em forma de empréstimo, um livro que falava sobre o efeito da natureza na saúde humana alguns meses antes e me dediquei a essa leitura. Esse livro abriu meus olhos para muitos dados científicos que demonstram o que sabemos intuitivamente: o poder da madeira, do verde, dos sons de cachoeira, dos cantos de pássaros, do cheiro de terra sobre nosso sistema nervoso e nossa psiquê. A medida que a leitura avançava, eu me via naquelas páginas, uma vez que pude vivenciar em primeira pessoa essas mudanças tão intensas e significativas na minha saúde física e mental.


Hoje sabemos que nosso sistema nervoso autônomo, responsável pela nossa resposta a eventos estressores, sofre influência direta de cores naturais como o verde. Sim, o fato de caminhar ou se exercitar ao ar livre traz mais benefícios na redução de ansiedade, estresse e pressão arterial do que quando nos exercitamos dentro de lugares fechados. Além disso, apenas ter uma planta em uma sala causa redução de cortisol (hormônio relacionado ao estresse), aumento da variabilidade da frequência cardíaca (o que é um bom indicador de saúde), mais vitalidade e sensação de conforto. A madeira traz também benefícios em relação a ansiedade e permite que o ambiente se torne mais aconchegante. O cheiro das ervas, mato e madeira também levam a redução de pressão arterial e, consequente, previne o desencadeamento de doenças relacionadas ao sistema cardiovascular.


Por que isso é importante? Porque nem todos temos a possibilidade de nos conectarmos diretamente com a natureza de forma imersiva como eu fiz, mas, podemos trazer para dentro dos nossos espaços construídos elementos que favoreçam um estado de equilíbrio físico e mental. É aí que entra esse campo chamado Neuroarquitetura, que une saberes das neurociências e da arquitetura de modo a permitir a construção de ambientes mais humanos, funcionais e adaptados as demandas de cada um.


Hoje tenho nos meus espaços (casa, trabalho) plantas, mais iluminação natural, óleos essenciais que trazem efeitos terapêuticos, madeira e uma atitude mais consciente diante dos lugares que frequento.




Nós passamos cerca de 90% do nosso tempo em ambientes construídos e isso deveria ser levado em consideração por nós para pensarmos em ambientes que representem nossos valores de vida. Não precisa ser caro, luxuoso... só precisa nos remeter a nossa primeira casa, a natureza.


Ter a consciência da importância desses elementos, nos faz ter opção de melhores escolhas em relação aos lugares que frequentamos e a forma como preparamos nossos espaços. Mas isso só é possível com a presença. Sim, estar presente e se permitir sentir o ambiente é chave para esse processo. Restaurantes, shoppings, lojas que frequentamos tem impacto na nossa saúde sim, e a partir desse conhecimento talvez possamos fazer melhores escolhas para que tenhamos experiências que nos nutram enquanto seres-no-mundo.


Como você prepara seu ambiente? Você já tinha pensado sobre a importância da natureza nos processos de saúde-doença que vivenciamos?

Pensa sobre isso e observa se consegue fazer ajustes nos seus espaços construídos de modo a ter uma vida de mais qualidade :)

83 visualizações
  • Instagram
  • Facebook
  • YouTube

por Geissy Araújo 2020

Neurocientista | Instrutora de Mindfulness

contato@geissyaraujo.com

Avenida Amintas Barros, 3700, Lagoa Nova, Natal/ RN